sábado, 10 de junho de 2017

MiRAntE - PeTRóPoLiS x TEreSÓpOliS

Não vou falar de trilha, vou falar de vida! Há 6 anos que faço esse caminho....diariamente no início e bem pouco atualmente. Mas desde então, paro aqui sempre que posso. É um verdadeiro paraíso! E hoje, ao parar, fiz muitas reflexões!


Já vi essa paisagem de todo jeito e de todos os ângulos imagináveis. Nem sempre fotografo. Na maioria das vezes só aprecio tudo...e reflito muito.
Cada vez que paro aqui, percebo algo dantes nunca percebido! Se dou um passo a frente, vejo diferente de quando fico mais pra esquerda! Se me afasto um pouco da beirada, tenho uma visão bem diferente de quando me inclino um pouco pra direita! Já sentei, deitei, fiquei no carro. Já vi a lua cheia daqui...é um espetáculo indescritível. 
 Já chorei muito aqui também. E já fiquei tempo suficiente pra ver, em poucos minutos, a paisagem se transformar!



E não é assim mesmo que as coisas acontecem, por aí, na vida? Experimenta olhar as coisas de formas e ângulos diferentes!!! Experimenta esperar um pouco...com certeza a paisagem vai mudar! Experimenta dar um passinho atrás, ou pro lado, ou sentar, ou deitar...mas experimenta olhar de um jeito diferente pra paisagem e vê se ela não muda... ahhh muda... e muda muito! 
Quem nos dera poder decidir como seria a paisagem que queremos ver nesse ou naquele momento, desse ou daquele jeito. Quem nos dera!!! 
Mas temos sim o poder de escolher de qual ângulo queremos apreciar cada uma das paisagens que nos são apresentadas, Temos o poder, inclusive, de decidir se essas paisagens são lindas ou horrorosas!!! Porque assim como cada dia é uma trilha e cada trilha é um dia, todo ponto de vista, é a vista de um ponto!!!


domingo, 28 de maio de 2017

ConVEsCoTE - 27/05/2017

Pra mim, que comecei recentemente a viver, ops...digo...trilhar, tudo é novidade! Saio de casa sabendo que não tenho a menor ideia do que vou encontrar... só sei que ao chegar ao cume, serei abençoada com uma vista maravilhosa! (Isso quando São Pedro acorda de bem com a vida!!!)
E ontem não foi diferente! Como já disse (acho que já disse...rs), os critérios de avaliação de uma trilha, para os guias, é bem diferente dos nossos, simples mortais! Na verdade, esses critérios são pessoais e intransferíveis!!!! O que é uma trilha pesada superior pra eles, é quase impossível pra nós! E por aí vai... mas sou metida, e depois de ter ido às Torres de Bonsucesso só com os tops do CET, só não vou a uma atividade se tiver escalada...por enquanto. Porque sou uma Ana antes do Convescote e outra Ana depois!!!!! Pensando bem, a cada trilha, sou uma Ana antes e uma Ana depois!!!
As palavras do dia são PARAÍSO, SUPERAÇÃO e GRATIDÃO! E é só o que tenho a dizer hoje....acreditem! A gente pensa que não pode, a gente pensa que não consegue, a gente pensa que é impossível. Mas essas são (des)crenças só nossas. Só nós desacreditamos de nós mesmos.
Também já disse que sempre pergunto aos guias se a trilha do dia "dá pra mim". Mas com o tempo, e a "experiência" adquirida...acho que não perguntei dessa vez. E como ninguém disse pra eu não ir, ótimo, fui. Ainda bem...porque além de estar por algumas horas no paraíso, realmente me superei. Senti muito medo...na subida e na descida. Medo da altura, medo de escorregar nos trechos mais complicados, medo de me machucar....muito medo. Mas fui. Acreditei. Confiei...em mim e nos que me acompanhavam! E dessa vez, sem ninguém me dar as mãos. Até ontem, a subida do Dragão tinha sido a mais difícil pra mim, devido ao meu medo de altura. Mas ontem, uauuuuu, que subida...e que descida! Além de mais alta que o Dragão, era também muito mais difícil, com trechos mais expostos, infinitamente (pra mim) mais punk! E eu fui. Não desisti. Não desacreditei. Não chorei...e fui a primeira (mocinha) a chegar ao cume!!!!! Quanta alegria que eu senti!!! Quanta emoção sem lágrimas vibrou dentro de mim!!! 
Ainda estou maravilhada...com a trilha e com a vida! Muitas superações, muitas conquistas, muita aprendizagem! Acreditem, cada trilha se comunica com meu momento de vida, cada trilha ilustra perfeitamente todo meu processo de renascimento: meus conflitos, meus questionamentos... respondem minhas perguntas, presenteiam minhas escolhas, finalizam meus ciclos! 
Convescote marcou, e quero voltar lá muitas vezes! Respirar o ar puro de uma batalha sendo vencida e apreciar a vista maravilhosa conquistada a base de muita superação! Renascer dói, amadurecer é difícil, mas olhar pro caminho percorrido e ver aonde chegou é FANTÁSTICO. O saldo é positivo! PARAÍSO, SUPERAÇÃO E GRATIDÃO! É o que temos pra hoje!!!

Pra ilustrar, além das fotos maravilhosas, segue essa música que me representa, nesse momento!

Se eu fosse você, não deixava de ver as fotos!

BoA VisTa - DomINgUiNHos - 20/05/2017

Definimos qual trilha fazer numa reunião que acontece semanalmente! Saímos dessa reunião sabendo qual o próximo cume a ser conquistado! E aí, passo os dias sabendo que vou conhecer aquele novo cume e me preparo pra ele. Na véspera, preparo lanche, água, mochila...deixo tudo organizado pra sair bem cedinho rumo ao objetivo do dia!
E assim foi. Chegamos ao ponto de partida rumo ao Pico Boa Vista bem cedinho e como sempre, estava super empolgada! Realmente sou fascinada por esse esporte: o prazer de descobrir novos caminhos, vencer novos desafios e conquistar novas vistas é um espetáculo! 
E começamos nossa caminhada em busca da entrada da trilha! Andamos muito, por um lugar encantador. E nada da entrada da trilha se mostrar pra gente. E nada de encontrarmos a entrada da trilha! E andamos....e muitoooo.... e durante a caminhada, conseguíamos avistar o nosso objetivo logo ali, mas não encontrávamos o caminho até ele! 
Acho que caminhamos umas 2 horas dentro do parque. E nada, nada de achar a entrada da trilha. Vimos o cume pretendido de diferentes ângulos, mas sua entrada se ocultou de nós. 
E então percebi que estava ficando muito chateada por não conseguir atingir aquele objetivo traçado para aquele dia. E comecei a ficar irritada. E comecei a refletir. Gratidão ao universo por me proporcionar esses momentos de reflexão de vida, nas trilhas! 
As vezes visualizamos o que queremos e traçamos uma linha reta até aquele "desejo"! Não olhamos para os lados, não respiramos, não refletimos...só andamos rumo ao alvo. Mas nem sempre é como queremos. Nem sempre, né não??? O universo tem seus planos e nós, temos (ou teríamos) que ser humildes e receptivos às suas mensagens. O universo é sábio, muito sábio! 

Depois de muito andar, decidimos então por um outro objetivo, mais acessível naquele dia, mais tranquilo pra situação. Refazer planos...sim, é necessário em diversas situações. Até nas trilhas!
Traçamos novo objetivo, adequamos a situação e seguimos! E chegamos. E conquistamos um novo cume. 
Não, não era o que EU queria naquele dia, Não foi pra isso que me preparei e saí de casa tão cedo. Mas entendi que sim...as vezes é necessário ser paciente e recuar pra poder avançar em outro momento. Sim, é necessário parar, respirar e reavaliar a situação pra seguir ali na frente. 
Conquistar objetivos menores até que aquele maior seja alcançado, essa foi a lição da trilha. Lição da trilha? Não, isso a vida ensina diariamente. As trilhas só estão me proporcionando uma nova chance de entender, com mais maturidade, o que já poderia ter aprendido se estivesse receptiva em outro momento! 
Permitir-me reavaliar e ser paciente, aceitar com tranquilidade a "não conquista" e dar um passo de cada vez, entender a necessidade de pequenos p  assos quando necessário... objetivos menores como estratégia para objetivos maiores... uma trilha de cada vez, na selva da vida! 

Fotos aqui! https://drive.google.com/drive/folders/0B72AntDy3X7ESWo5THVxV2lZSE0


domingo, 21 de maio de 2017

2 BiCoS - 18/02/17

Essa foi a primeira trilha com o CET! Conheci esse grupo de pessoas incríveis, que formam um clube de montanhismo, e colei com eles! E daqui pra frente, todas as trilhas são feitas com essa galera!
Por isso precisei voltar no tempo e atualizar cronologicamente os textos!
Nesse dia apenas me permiti conhecer...conheci gente nova, conheci uma montanha nova, abri portas pra um momento novo que já tinha se iniciado...e que agora, com eles, estava se cristalizando. Encontrei pessoas nas quais senti segurança e soube, naquele momento, que poderia contar com elas pra me aventurar em qualquer desafio. Com o CET vou pra qualquer lugar!
Mas sempre há aprendizagem, né? E muita!!!! Nas trilhas...na vida! 
Venho percebendo, com o silêncio da alma, trilhando pelas montanhas, que na trilha da vida eu era uma menininha bobinha e indefesa, inocente e ingênua... não me colocava nesses papéis não. EU REALMENTE ERA ASSIM. Pra mim, todo mundo era lindo e legal, correto e generoso...pra mim, todo mundo era "do bem"! E me machucava com facilidade, com qualquer coisinha! Vivia "sofrendo"...affff....que chatice!
Fui pra essa trilha com esse mesmo pensamento...é uma trilha do bem! E era mesmo, mas com disfarces "do mal"!!! Andamos um tanto por uma paisagem maravilhosa, adentro de uma fazenda, com um campo verde espetacular, de encher a alma de alegria!





 Mas tinha um capim cortante....que vou contar uma coisa...danadinho!!! E...me ferrei!! Em meio a tanta beleza e a tanta coisa boa, me machuquei bastante!!! Mas aprendi, a partir desse dia, que trilha se faz de calça e blusa de manga comprida. A gente tem que se proteger, pra não se ferir! 
E essa necessidade de proteção, a gente aprende trilhando... não deixando o medo e as feridas nos paralisar...caindo e levantando mil vezes e sempre...porque mesmo protegida, as trilhas são imprevisíveis e cheias de surpresas!!! Não há garantias de acerto sempre, não há nenhuma garantia de nada. Há apenas a certeza de que somos capazes de chegar lá e, se persistirmos e chegarmos, tudo terá valido a pena!


Fotos dessa belezura toda no link abaixo!


domingo, 23 de abril de 2017

CEB 83 - MisSÃo AboRTadA - 20/04/17

Fiquei 15 dias sem trilhar nas montanhas, desde a travessia aguada até hoje! Mas fiquei 15 dias trilhando a vida... e foi uma trilha intensa! E como o universo vem me mostrando muitos caminhos, muitas verdades, muitas respostas, hoje ele me deu essa trilha pra que eu fechasse a quinzena com paz no meu coração. 
Tudo pode mudar nas trilhas....da vida, das montanhas. Nada é "pra sempre", nada é estático! Cada trilha é diferente, desconhecida, surpreendente. Cada trilha é um dia, cada dia é uma trilha. (sim, virou meu lema, meu mantra!)
Foi mais ou menos o fechamento, hoje!!!  A única coisa que eu sabia é que seria uma trilha longa...em torno de 3 a 4 horas de subida...mas e daí? Viver o dia, apenas ele, foi o melhor dos aprendizados desse renascimento: tirei o mundo das costas, os quilos do corpo, e a ansiedade da alma!
Trechos difíceis, bem difíceis pra mim, apesar de pouca inclinação (o que cansa menos o coração). Trechos que requeriam apenas equilíbrio, outros de muita atenção. Muitos trechos bem espremidos, aonde o apoio eram espinhos. Trechos escorregadios... enfim, um trecho de cada vez, cheguei no meio do caminho! E percebi, na verdade constatei, que ter algumas trilhas na história não garante nada quando uma nova trilha se inicia. Até aplico alguma experiência adquirida, óbvio, mas qual a garantia de sucesso? Nenhuma. As chances aumentam, claro. Sou mais assertiva, mais experiente, mais madura e já conheço alguns dos riscos e obstáculos. Mas garantias...
E lá no meio do caminho a decisão foi abortar. Retornar sem atingir o objetivo inicial. Decisão sábia. E precisa mesmo ser sábio, humilde, resiliente quando se decide abortar a missão... não se pode ter orgulho, nem tampouco ser ambicioso ao extremo... É PRECISO TER EQUILÍBRIO!!! Posso voltar ali em outro momento, mais seguro (a), mais fortalecida, sem chuva... posso voltar ali e fazer de tudo para que o objetivo seja atingido e chegue ao cume pra apreciar as maravilhas de uma vista nova. Mas hoje, o melhor a fazer foi desistir.
Há uns meses resolvi mudar de rumos, de novo. E rapidamente agi. Mas antes de agir, precisei entender que mudar "só pra realizar um sonho" é a melhor mudança e SIM, eu podia fazer isso por mim! Coloquei milhões de obstáculos antes de me decidir. Me boicotei mesmoooooo, mas concluí, em determinado momento, que poderia voltar atrás (em parte da minha mudança) a qualquer momento, caso estivesse insatisfeita! Não estou acostumada a me presentear e estou começannnndo a aprender a me respeitar, o que quer dizer que também já me amo bastante!
Leva tempo... muitas trilhas pela frente... muitas missões abortadas. Mas o que se tem, no momento certo, é um lindo e maravilhoso visual que vem como prêmio pelo seu esforço, pela sua dedicação, pela sua insistência, pelo seu crescimento, pela sua humildade em aprender... numa trilha de cada vez!!!

Poucas fotos, mas tem!!!
https://drive.google.com/drive/folders/0B72AntDy3X7Eb1NJbnpMQ0tEZnM


quinta-feira, 13 de abril de 2017

CaBEça dO DRagÃO - 27/02/17

Sobre equilíbrio....sobre (vencer) medos. Eita que a coisa tá ficando séria! São dois negocinhos bem difíceis de falar, de lidar, de conquistar! E acho que são assuntos inesgotáveis...
Mas como só me proponho metaforar...hehe... vamos tentar!
Cada trilha é especial em seus desafios! Pra mim, que estou só começando nessa vida maravilhosa, me vejo fascinada por cada uma delas. E surpreendida também! Cada uma tem suas particularidades, seus obstáculos, seus riscos, suas maravilhas. Cada trilha é um dia, cada dia é uma trilha... e temos que vencer um de cada vez. Não se chega ao cume sem suar, sem ofegar, sem cansar. E se desistir no meio do caminho (que é um direito nosso), não se tem o grande momento de puro extase! É uma escolha e tem que ser respeitada: seguir vencendo cada passo, ou parar e desistir. Esse foi o dia dessa trilha. Um começo divino! Sabe uma estradinha rumo ao paraíso, cercada de árvores e folhas caídas no chão? Um bosque cheio de muita magia, um caminho dos contos de fadas? Foi essa trilha.
Nada muito puxado, apesar de trechos íngremes. Nenhum esforço sobrenatural. Muita beleza, flores, fonte de água pura. Um sonho mesmo, ainda mais porque minha filha estava juntinha de mim! (Meio zangada, admito! Jovensss, afffff...mas é linda, né???) 
Então chegamos ao camping aonde encontraríamos uma galera acampada! E dali partimos rumo ao cume da cabeça do dragão! Diria, metaforicamente, que o dia estava tranquilo e calmo, mas muitooo frio!
Vamos? Seguir adiante me custaria mais 1h de caminhada na mata. Ficar no camping me daria momentos de conversa e descontração com pessoas especiais. E eu tinha que escolher e claro, escolhi por desvendar e conhecer o desconhecido pra mim. Escolhi descobrir mais, aprender mais, entender mais, ousar mais. Não sabia o que esperar pra chegar nesse cume....porque por mais que nos contem seus exemplos e suas experiências, cada um encara seus desafios de uma forma muito individual, né não? E é aí que chego numa pedreira e olho pros lados e... despenhadeiro. Não tão próximo de mim, mas próximo o suficiente pra me paralisar de medo, todo o medo mais íntimo e forte e denso que eu sinto de altura (era bem íngreme e alta a subida...uauuuu...) se aflorou ali naquele momento. E a escolha, de novo e sempre, era minha! Eu podia sentar ali embaixo e esperar a galera ir e voltar. Ou podia me vencer, vencer meus medos e conquistar meu objetivo. A ESCOLHA ERA MINHA!
(apesar de sorrindo....sempre... estava sentada esperando o pânico passar pra encarar a subida...e amiga Jurema coladinha!!)
Um dos guias me apoiou muito. Me ajudou a não desistir porque acreditou em mim. Me deu a mão quando eu estremeci e me soltou quando eu pedi. Mas o mais importante que ele fez por mim naquele momento foi me dizer: "confie em você!" Gratidão, Zé. Muitas vezes as pessoas nos ajudam sem nem ter ideia do quanto estão fazendo por nós!!! E subi....e conquistei o cume mais difícil pra mim (até aquele dia)! Foi uma dificuldade diferente... porque o único obstáculo, naquele momento, era EU MESMA!!!! Foi uma emoção surreal. Meu corpo levou um tempo pra parar de tremer! Eu havia me superado com o apoio de pessoas "estranhas" que estavam ali, do meu lado, entendendo os meus limites e apenas acreditando em mim! Quanta gratidão dentro da minha alma por poder viver esses momentos na minha vida!!!!
É galera! Quantas e quantas vezes eu não confiei em mim pra atravessar meus dias e voltei, desisti, sentei e esperei? Quantas e quantas vezes a falta de coragem acompanhada do medo, me paralisou, impedindo que eu agisse e chegasse ao cume? Quantos sonhos deixei de realizar? Sei lá! E tudo bem por tudo o que já passou.... é a minha história que hoje me serve de trampolim. Uma história de grandes vitórias, de muitos cumes conquistados a base de muitas lágrimas e infinitos sorrisos, regados a medos e inseguranças, impulsionados por coragem e vontade de vencer. Cada dia é uma trilha, cada trilha é um dia. Chegar ao cume é o objetivo principal, fazer escolhas é a parte difícil. Um outro grande amigo (apresentado pelas trilhas) que vem fazendo parte da minha vida, me disse esses dias:  "...é super, hiper normal medo... o ter medo não é uma coisa ruim. Se você tiver que seguir em frente, ou parar, não pode ser por coragem nem por medo, porque são apenas emoções. Seguir em frente ou parar, precisa ser uma DECISÃO... uma decisão racional..."
É... ainda tenho muito o que trilhar por aí!!!!

Fotinhas no link!!!

sábado, 8 de abril de 2017

Travessia Cobiçado x Ventania - 08/04/17

Tudo na vida tem sua primeira vez! O primeiro passo, a primeira palavra, o primeiro beijo, a primeira transa....e por aí vai! Essa foi a minha primeira travessia. Isso quer dizer que andei 12km, começando de um lado da montanha, passei por 4 picos - cobiçado 1678m/ Pico dos Vândalos 1745m/ Morro do Tridente 1682m/ Ventania 1560m - e saí a 2km de distância de onde estava o carro! Foi perfeito! Inclusive pela chuvarada que me acompanhou em 70% do tempo, ou seja, trilhei ensopada por 5 horas!
Andei boa parte do tempo em silêncio. Necessidade da alma! E viajei nas metáforas! VI-A-JEI! E claro, me emocionei...tudo bem, chovia mesmo. Ninguém viu as gotas de chuva que escorreram dos meu olhos!
A gente se dá conta de tanta coisa quando a alma fica em silêncio, tanta coisa! Entrei na trilha achando que seria molezinha! E nem foi assim tão hard, realmente. Exatamente por isso viajei tanto.
A gente tende a relaxar quando acha que já domina a coisa, né? Tende a ser displicente. Tende a cometer os mesmos erros neonatais! E hoje me dei conta de que ainda, affffff, ainda cometo alguns dos erros que achei, humildemente, já ter acertado nessa caminhada...da vida!
E por isso me emocionei!!!!!! E muito. Bendita chuva!
Travessia é um caminho só de ida! Olha pra frente e vai. Mas esse caminho tem muitas bifurcações, né não? Algumas rotatórias. Outras tantas possibilidades de acertar, ou errar, o trajeto! E é isso. Se errar, tudo bem. Mas tem que encontrar o certo logo ali, porque senão não tem travessia! SE ERRAR O CACETE DO CAMINHO, TUDO PARA! Aí reencontro a trilha e vou. Avanço mais um tanto e COMETO O MESMO ERRO! Difícil assim querer conquistar... Difícil mesmo!
Atravessar essas montanhas hoje me mostrou uma verdade doída! Uma realidade solitária! Era um dia chuvoso e cheio de serração, propício pra análises profundas e molhadas! Não tirei fotos, porque só se via um branco esfumaçado ao redor. E água! Muita água...do céu, dos rios e dos olhos. Águas que lavaram a alma, de novo e ainda. Águas que limparam! Águas que desafiaram!
Amei esse dia! Foi especial trilhar por ele... entendi tantas coisas e percebi tantas outras! Precisei muito pouco de ajuda. Por que? Porque era uma trilha com poucos trechos difíceis, porque já tenho um pouco mais de experiência, porque já tenho mais confiança em como caminhar. Andei sozinha, cometi erros, corrigi erros, e não me feri. Apenas segui entendendo que há trechos muito difíceis e outros bem tranquilos. Há momentos que erro e outros que acerto. Há danos e prejuízos, mas muitas conquistas. Há trechos de reflexão e outros de ação e outros, os principais, de decisão!
É....renascer aos 43 é paradoxal! No meio dessa trilha selvagem, cheia de lama, escorregões e desafios, muita tensão e medos... o prazer, a emoção, a alegria, a liberdade e o CRESCIMENTO (de corpo e alma) fazem tudo valer a pena!
Terminei a travessia cobiçado x ventania (e segue um link bem legal do último obstáculo). Na travessia da vida, alcancei o primeiro cume!

Link do vídeo radicalllll!!!

sábado, 1 de abril de 2017

ToRRes De BoNsUCeSsO - 01/04/17

Conto os dias pra chegar sábado! Na verdade, hoje meu sonho de consumo era arranjar um patrocinador pra Ana atleta e viver de correr, malhar e subir montanhas! Bom demais seria, né não??? E aí, acordo hoje, às 6:00h e dou de cara com um tempo horroroso, com chuva inclusive! "Pô São Pedro, sacanagem"!!! De qualquer forma, decidi me arrumar, preparar minha mochilinha e ir ao ponto de encontro! ESCOLHAS, lembram? Podia ter voltado pra cama... mas lá fui eu!
Num primeiro momento, achei que só tinha euzinha ali. Decidi esperar uns minutos pra ver no que ia dar! E chegaram, então, 4 mocinhos, dentre eles o guia. Só eu de mocinha na história? Ok! "Dá pra mim a trilha? Não vou atrapalhar vocês?" - pergunto ao guia e ele diz que não! Simbora então!
Bom, o dia chuvoso já prometia! Mas se o guia disse que eu dava conta do recado, nem imaginei que pudesse ser uma trilha do tipo MUITA COISA MESMO HARD DESDE O INÍCIO!!!
Pra começar, só subida! Das boas, íngremes! Mato, muito mato mesmo...e molhado....o que quer dizer = escorregões!! Com 20 minutos de caminhada já parecia que meu coração ia saltar do meu peito e se suicidar, naquele lugar maravilhoso!







Mas se o guia disse que dava pra mim, daqui a pouco ia melhorar!!! E sobe, e sobe, e sobe....






Ahhh...o destino era aquele ali. A Torre Maior, com 2000m de altitude. Aquela pedrinha pequenininha, bem no cume da terceira torre....E daí, né? Já tinha subido o Caledônia, com 2219m. Moleza!!!


E subimos, e subimos, e subimos!!! E o bicho começou a pegar (pra mim, claro)!!! E sério, muito sério! Vários trechos de lama, escorregadios, bem inclinados, sem degraus ou com degraus esquisitos, além de pouco apoio de árvores ou galhos...apenas cordas!
Trechos em rochas, trechos muito próximos de despenhadeiros... e... uma etapa punk! Uma "caverna" de pedra, úmida, de uns 4 metros talvez, pra subir com corda. Era o único jeito de subir, e se eu quisesse desistir (sim, eu poderia desistir caso não me sentisse segura pra seguir), ali naquele ponto não tinha mais como! Tá bom pra vocês??? Ou seja: ou vai ou vai! Então eu fui, ué! E abaixa pra passar em túneis de galhos, e mais corda, e escorrega e sobe, sobe, sobe.... e chega! E não há no mundo sensação mais maravilhosa do que chegar ao cume, mesmo que São Pedro não colabore muito!!! Que frioooooo!!! Cume 1 na conta e muita gratidão aos meninos por acreditarem em mim!

E agora é hora de voltar! Descer pra chegar ao cume da Torre Central - 1860m.  Tudo bem, vamos lá! Só que o caminho de volta era aquele mesmo de ida, ladeira abaixo!!! #tensa, mas confiante, bora lá!!!
Descer, pra mim, é sempre mais tenso, mais doloroso (dor de corpo mesmo), mais complicado. São outros músculos que são exigidos e já estamos cansados! E essa trilha realmente tinha uns trechinhos que me... digamos... amedrontavam! E desce, e desce, e desce...e sobe, e sobe, e sobe...Cume 2 na conta! Nessa altura, São Pedro já tinha se rendido à nossa aventura e transformou o dia...que maravilhas de paisagens!

Partiu então, cume do Ferro de Passar Roupa - 1630m (a torre menor). E desce, desce, desce e quando eu penso que cheguei, tenho que subir, subir, subir...pela pedra....escalaminhada.... e eu me surpreendi comigo mesma DE NOVO! Porque eu fui. E entendi que meu medão de altura está quase controlado, menos intenso, mais dominado! (E quando eu escrever sobre a Pedra do Dragão, tudo ficará mais claro). Cume 3 na conta! Espetáculo! 


Que horas são? O queeeee??? 15:00H????? Começamos a subida por volta de 9:00h. Como assim já eram 15h e eu nem tinha percebido? E ainda desceria por 1:30h, mais ou menos, até o carro...como assim não percebi o tempo passar? 
Sentada agora aqui, escrevendo, nem sequer consigo lembrar aonde eram os trechos HIPER MEGA SUPER HARDS... acho que andamos em torno de 15km (metade subida íngreme e tensa, metade descida íngreme e tensa...kkkk) e só consigo pensar que CONSEGUI VENCER A TRILHA MAIS HARD QUE FIZ ATÉ HOJE! Só consigo pensar que nós podemos tudo o que quisermos, desde que nos empenhemos e não desistamos assim tão fácil. Só consigo pensar que temos sim, na vida e nas trilhas, pessoas maravilhosas dispostas a nos darem as mãos, emprestarem seus joelhos para nos servirem de degraus, pessoas queridas preocupadas com a nossa segurança e bem estar! Pessoas que ACREDITAM em nós e nos motivam a seguir. Só consigo pensar que tantos obstáculos dificílimos nos fazem valorizar cada passo dado e que a conquista árdua, tem um sabor maravilhoso... que se chama SUPERAÇÃO!
Sou muito grata aos guias Basílio, Maicon, Ramon e Marcelo pelo dia de hoje. Sou grata por terem sido pacientes, cuidadosos, criteriosos. Por terem me guiado nesse caminho... Mas acima de tudo, sou grata por não subestimarem minha capacidade e acreditarem em mim. Por me deixarem seguir sozinha e só me "darem um empurrãozinho" quando realmente viam que eu não conseguiria sozinha! Vocês são incríveis!!! Gratidão!

Apreciem a paisagem. É divina!!!

CaLedÔNiA - 25/03/17 - Reescrita!!

Sou impulsiva. E deixar de ser é, também, algo que preciso aprender. Já melhorei bastante, confesso. Mas ainda há o que ajustar!!!
Cheguei do Caledônia, semana passada, muito encantada com o dia que passei junto de pessoas especiais. E no calor das emoções,  sentei e escrevi!!! Impulsivamente! E resolvi reescrever porque, afinal, voltar atrás e assumir minhas falhas é bem grandioso! 
Ainda vou falar sobre escolhas. PRECISO falar sobre escolhas! Elas tem me "perseguido" a vida toda. Sei exatamente as escolhas que fiz e que me trouxeram até aqui. Umas impulsivas, outras não! Consigo visualizar, em vários momentos da minha humilde existência, um cruzamento a minha frente me dando 2 opções e eu escolhendo por onde ir! E o assunto "ESCOLHAS" participou do Caledônia desde o planejamento desse passeio, até o seu final! E quando me dei conta disso, escrevi impulsivamente! Então...
Tanto nas trilhas, como na vida, qualquer caminho que você escolhe seguir vai lhe levar ao seu objetivo. O que vai mudar, bastante mesmo, é que pode ser mais difícil ou mais fácil...mais leve ou mais pesado. Cansativo ou não! Algumas vezes você vai precisar recuar um pouco por ter saído da trilha, mas logo ali ela se abre novamente pra nos receber! Outras vezes, dá pra acelerar e avançar bem...
Escolhi subir o Caledônia a pé, e arrastei a galera comigo. Fiquei uns 4 dias com a panturrilha sem poder colocar o pé no chão direito...hehe...nem malhei esses dias, nem tampouco corri. Pois é...isso mesmo. TODAS as nossas ESCOLHAS nos trazem consequências....né não?







Era uma subida íngreme acompanhada de 630 degraus para atingir o cume. Foi punk, mas chegamos!

Tenho feito muitas escolhas nesse renascimento! Há 2 anos que só faço escolher... Ainda? De novo? Mais? É, já entendi que é por ai mesmo. Escolhas de vida, escolhas pra vida! Escolhi ser feliz, escolhi estar com pessoas que amo e que me fazem bem. Pessoas especiais que passaram a fazer parte da minha vida renascida!
Escolhi fazer coisas que me deixam maravilhada, abestalhada, encantada...como estar no alto dessas montanhas em contato com a mãe natureza... tô aprendendo a escolher com cautela... tô aprendendo a controlar meus impulsos para escolher (essa é a tal questão difícil, affffff!), tô aprendendo. Afinal, renascer é bem complicado!!!! Precisei escolher um caminho de renúncias, precisei escolher abrir mão de coisas, precisei escolher abrir mão de pessoas. Escolhi renascer...e pra isso, precisei ME escolher!

Fotinhas lindas no link!
https://drive.google.com/drive/folders/0B72AntDy3X7EV2NJanVEeDdM

segunda-feira, 27 de março de 2017

PeDrA dA BUraCadA - 12/02/17

Vamos lá! De volta ao passado, a um passado recente cheio de descobertas! De volta ao primeiro momento em que me deparei, de verdade, com um imenso medo numa trilha!
Esse dia fomos para a Pedra da Buracada. E que especial foi essa trilha, já começando com a véspera, porque foi quando conheci a incrível Jurema! (Já apresentei a Jurema no post do Caledônia)
Já me sentia mais confiante pra trilhar, mas sempre perguntava ao guia: "dá pra mim"? - e pra esse dia, ele disse que sim. Estava com meu coccix muitoooo bichado e nem podia cogitar a possibilidade de cair de bunda no caminho! Mas o fogo de trilhar era maior do que a dor. E fui. Beleza! Já começo aí a metaforar com a vida! E resolvi escrever sobre isso hoje porque meu amigo... aquele que tô esperando... me fez refletir sobre o assunto: ele sempre me diz: "vai com calma"!
Eu fui. Mas já aprendi a andar nesse renascimento. E nas trilhas também. Já dei os primeiros passos... já levei alguns tombos e arranhões. Já cicatrizei coisinhas nesses 2 anos. E como disse a ele: aos 45 anos, não dá pra ficar engatinhando por muito tempo, né? 
Subindo. E subindo. E subindo.
Tenho vivido nas trilhas (e na vida) que o guia vai lá na frente e sempre em frente. Você vai seguindo. Por vezes alguém passa a frente dele e ele espera um pouco até que as pessoas mais lentas se aproximem. Por vezes, voltamos um pedaço do trecho pra arranjar um caminho melhor. Por vezes, é inevitável se arranhar num galho ou cortar a mão no capim. E até mesmo, é inevitável se perder. É inesperado e possível de acontecer. E como já disse, todo guia é mentiroso....kkkkkk.... eles dizem que a trilha é moderada e na verdade a trilha é foda! E vice-versa também. Mas o fato é que, pro que nos é inesperado e desconhecido, sempre sentimos aquele friozinho na barriga. É aquele medinho, e as vezes medão, do novo, sabe? Todo mundo conhece. 
E subindo. E subindo. E subindo. E chegamos ao trecho tenso. Muito tenso pra mim. Muito inclinado (eu tenho muitooooo medo de altura. Já mencionei isso? Pois é....) e de lugares difíceis de apoiar o pé, lugares escorregadios por serem arenosos...MUITO TENSO! (apesar da pose sorridente pra foto)
Mas, subindo....subindo...subindo.... chegamos ao cume! Uauuuuuuuuuuuuuuu...que vista maravilhosa! Meu primeiro namastê num cume...
minha primeira trilha com Jurema....minha primeira grande superação...VENCIDA!!! Ah, a segunda grande superação foi aí também... porque descer foi ainda muito mais tenso que subir. E quando cheguei em terreno seguro, sentei (de ladinho porque o coccix estava uó) e chorei! Foi também meu primeiro choro numa trilha. Um choro de vitória!!! Superei parte do meu medo de altura, naquele momento, superei meu medo de cair. EU NÃO DESISTI QUANDO ME SENTI AMEAÇADA. Eu segui em frente. Analisei aonde pisar. Avaliei os riscos. Pedi ajuda quando precisei. E consegui. E conseguiiiiiiiiii!! Superação tem sido a palavra da vez. Tenho me superado diariamente, na vida e nas montanhas! Tenho avaliado riscos, pedido ajuda. Tenho analisado as situações. Mas acima de qualquer coisa, não tenho deixado o medo me paralisar e tenho agido. Não quero mais estar em zonas de conforto que apesar de confortáveis, me fazem mal. Tô renascendo de mim... Tô " aprendendo a conhecer a nova antiga Ana que estava escondida."  "Não tô receosa, nem tampouco sensível. Não mais...não pro novo! Tô me jogando na vida, mais forte, mais sensata, mais madura, mais feliz! Sem medos e ciente do que me machuca e do que me faz bem! Me permiti aprender e a vencer.... sei que sou forte e capaz! Sei que posso cair ainda e de novo...mas tudo bem pra mim... sem medos!" (trechos de um diálogo com alguém especial, que tem me cutucado e feito pensar! Gratidão a você!)

Link de uma das mais belas paisagens  vistas...até aqui!!!

terça-feira, 21 de março de 2017

PEdrA da GaLiNHa - 11/12/16

Apaixoneiiiiii.......pelas trilhas, claro!!! Porque o mercado anda complicado pra aquela paixão que passou pela sua mente cor-de-rosa!!!!!!!
Levei umas leves broncas, mas são broncas do mesmo jeito apesar de terem sido leves... por ter feito a Pedra do Elefante sozinha! Entendi perfeitamente...rsrs...e fui orientada por uma pessoa querida (viram como minha vida está repleta delas??? 💜) a procurar um guia conhecido dela aqui em Terê! E assim fiz! 
Suguei o homem: pedi todas as dicas porque queria ser profissa na coisa de trilhar! E logo que ele marcou a primeira trilha, lá fui eu, novata e inexperiente, meio a pessoas que já faziam aquilo naturalmente! E, como inexperiente que era, fui de tênis e calça legging, daquelas curtinhas!!!! Tudo bem, era só uma caminhada mesmo. Só que no mato, e, nesse caso, especialmente na véspera desse dia, tinha chovido e alguns trechos estavam escorregadios! Mas tinha sido orientada pelo guia que podia ir de tênis...fui de boa, tranquila e calma, confiante, corajosa!!!!
Cheguei no ponto de encontro e, já de cara, coloquei toda minha timidez (até parece!!!) na mochila porque era a única ali que não conhecia ninguém, nem o guia, porque só havíamos nos falado pelo face! Isso realmente não é problema pra mim. Dei meu bom dia e distribuí beijinhos a todos! Já estava íntima! Afinal, precisaria muito da ajuda da galera...estava intuindo isso!!!!
O roteiro era (pelo menos o que eu havia entendido): Pegar o busum até o ponto inicial da trilha, fazer a trilha e ir pra cachoeira. E, naquela ânsia de trilhar que eu me encontrava, só concordei! Peguei meu carro, parei no ponto de encontro e segui de bus com o povo. Esse guia gostava de fazer suspenses com os roteiros dele...surpresas! Assim como a vida, que também ama pregar suas peças!!!
Já nos primeiros 300 m, bufava de cansaço!!! Já tinha levado uns escorregões
e já tinha percebido que Tartaruga, Elefante e Galinha eram mesmooooooooo animaizinhossssss e pedrassssssss bemmmmmmm diferentes!!!! Mas a cabeça, ahhhhh a cabeça da gente: nossa melhor amiga e nossa pior inimiga.... a cabeça fervia de pensamentos! Era tão mágico metaforar com a vida ali no meio da natureza, era tão intenso me perceber saindo das fraldas nas trilhas e, na vida, e começar a dar os primeiros passos rumo à maturidade!!!! Feliz estava. E tensa também, porque o bicho estava pegando!!! Mas as maravilhas de vistas que estava vendo, faziam tudo valer a pena!

Aprendi um tanto de coisas ali (sobre trilhas, claro): 1- use botas sempre!; 2- todo guia é mentiroso...kkkkkkkkkk; 3- o visual sempre vale a pena!; 4- escorregar/cair não é legal, mas faz parte!;
Mas aprendi, mesmo, que posso me superar sempre que quiser! Posso fazer o que quiser com a minha vida! Posso ser eu mesma sempre! Aprendi que com cautela, posso ir a qualquer lugar! Comecei a entender, com as trilhas, que a liberdade estava dentro de mim o tempo todo e que apenas PERMITI, infelizmente, ser prisioneira de tantas coisas que me fizeram mal pela vida! Mas, acima de tudo, comecei a entender que nunca é tarde pra (RE)COMEÇAR.
Caí? simmmm...e levanteiiiii...e seguiiiii....e cheguei ao cume! E a felicidade que senti foi inexplicável! Valeu cada obstáculo, cada escorregão, cada arranhão. Valeu todo o medo que senti, todos os sustos que levei. Valeu cada segundo, cada minuto, cada hora... na Pedra da Galinha, nas outras trilhas....e na vida!!!!
Ahhhhh.... pra chegar na deliciosa cachoeira, tinha que andar de busum, subir até o cume, descer até o ponto inicial e caminhar mais uns 50 minutos por uma estradinha...e aí sim nadar nesse lugar delicioso!
Depois disso, caminhar mais umas 2h até chegar ao carro que deixei estacionado no ponto de encontro, lembram? Mas pra chegar até o carro (que estava com a chave de casa bem guardadinha), passei pela porta da minha casa....cansadésima!!! Por que o guia não passou o trajeto completo? Hein? Porque eu não perguntei, oras! Vai aprendendo aí, que eu vou aprendendo aqui!!! ;)

Mais imagens! VALE A PENA VER...

https://drive.google.com/drive/folders/0B72AntDy3X7EX043SGlKUURaeTg


peDRa dO ELeFaNte - 26/11/16

Saí da Pedra da Tartaruga completamente vislumbrada com uma natureza que sempre soube que fazia parte de mim, que estava logo ali quietinha e distante, me esperando. Sábia natureza! Como toda mãe, sabia que a boa filha retornaria à casa! Então, com a promessa de voltar lá mensalmente, resolvi voltar! Mas me lembrei da dica da amiga louca irmã (ela sempre estará nas minhas postagens!!!), e resolvi que faria algo diferente dessa vez! Parti rumo à Pedra do Elefante achando que seria uma trilha turística como a primeira!
Cheguei ao mirante do Soberbo, lugar lindíssimo como tantos outros dessa cidade fantástica, e me informei com o vendedor de água de coco aonde era a entrada pra Pedra do Elefante....e ele, tranquilamente (muito tranquilo mesmo, mesmo tendo me visto sozinha), apontou displicentemente o dedo pra direita e disse: "logo ali, depois daquela placa marrom".
Tá bom, né? Lá fui eu muito displicente rumo ao elefante! E...uauuuu....uauuuu...u..auuuuu! Comecei a subida...bem subida mesmo, cheia de coragem nas pernas e na alma! E rapidinho percebi que Tartaruga e Elefante são coisas bemmmmmmmmmm diferentes! Mas foi nessa trilha que nasceu a ideia de escrever! Foi nessa trilha que nasceu o tema "metáforas da vida"!!! E ao chegar em casa, escrevi o primeiro texto...e vou transcrevê-lo originalmente aqui. Porque ele é um retrato escrito do que eu AINDA ERA antes do meu completo renascimento: uma pessoa pesada, densa, complexa! Caraca.... aonde eu deixei minha leveza e alegria por tantos anos? Enfim....gratidão à Pedra do Elefante (que eu aconselho não ser feita sozinha...eu mesma não cheguei ao cume e claro, voltarei lá... muitas vezes) que me abriu os olhos do coração e da alma pra que esse blog acontecesse!

TEXTO ORIGINAL, ESCRITO NO DIA DA TRILHA!

METÁFORA DA VIDA

Resolvi fazer uma trilha. Uma trilha desconhecida pra mim. Mas como recentemente havia feito uma trilha bem tranqüila, fui sem medo. E sozinha!
Ao chegar no local, tinha que parar o carro a uma certa distância da entrada. Perguntei a um vendedor de água de coco aonde era e ele me indicou o caminho. E só. Nenhum tipo de informação extra. E lá fui eu, meu fone de ouvido e minha garrafinha de água.
Entrei na trilha e, de imediato, deparei-me com umas escadas. Lembrando que eu estava no meio do mato! O que significa que eram degraus de  terra e madeira...e muito mato em volta. Amei. A natureza tem o poder de reenergizar e sua beleza tem o poder de alimentar minha alma! Comecei a subida, e terminados os 10 primeiros degraus, já sentia a dor nas pernas. Percebi que não seria assim tão fácil. Mas estava tão à vontade com aquele lugar, e tão segura, que decidi seguir... e o caminho não parava de subir. Comecei a achar um pouco trilha demais. Bem estreita e bem trilha. Muito diferente da outra que tinha feito. Mas não tive medo. Como disse, estava muito segura. E me mantive no caminho!
E foi então que entrei numa espécie de transe. E tanta coisa foi fazendo sentido pra mim...
Eram muitos obstáculos. Muitos obstáculos. Degraus altos, irregulares e estreitos, locais difíceis de pisar. Outros trechos bem molhados e escorregadios. Mato, troncos e mosquitos. E muitos deixaram suas marcas em mim!!! Ainda assim, não pensei em desistir, porque em cada um desses obstáculos, percebi que encontrava um apoio: um tronco, um cipó, uma pedra. Algo onde me apoiar e....vencer....um de cada vez, os empecilhos que surgiam.
Não pensei mesmo em desistir em momento algum. Não errei o caminho nenhuma vez, apesar de ficar em dúvida em vários momentos. O próprio  caminho me mostrava por onde seguir...e segui em frente, um passo de cada vez. Sorrindo com o rosto e com a alma! Quanto sentido a vida mostrava pra mim!
Percebi que precisava respeitar minhas limitações, avaliar os riscos de cada passo que daria, planejar rapidamente onde me apoiar. Estava imersa numa selva, sozinha, e só havia percebido isso quando os riscos foram surgindo. Mas ao mesmo tempo, percebi que aquela mesma selva que podia me machucar, e com certeza machucou, me dava também todo o suporte que eu precisava pra alcançar meu objetivo. Eu só precisava estar atenta, serena, receptiva, tranqüila. Não importava o tempo que levaria, tinha ali tudo que eu precisava pra chegar aonde havia planejado. E só dependia de mim. Exclusivamente de mim.
Cheguei. Cheguei aonde queria. Emocionei-me, chorei de alegria! Chorei de emoção! Chorei de vitória! Chorei de superação! Agradeci muito pela conquista. Mas agradeci ainda mais pela aprendizagem. Tantas reflexões me fizeram perceber a vida. Meus caminhos, minhas escolhas, meu momento, meus objetivos. Fizeram-me perceber quão selvagem é a caminhada, mas quanto apoio eu encontro e não percebo por estar imersa na ansiedade, na insegurança, no medo, na tristeza, na dúvida... sentimentos tão negativos que tenho permitido fazer parte dos meus dias simplesmente por fraquejar diante de pequenos obstáculos necessários pra minha evolução.
É... caminhar pela vida é uma trilha selvagem sim. Mas somos capazes de atingir nossos objetivos porque todas as ferramentas nos são oferecidas. Não encontrá-las no percurso, é uma responsabilidade exclusivamente nossa.  E isso, muitas vezes nos faz regredir um pouco pra aprender e entender o que faltou, reavaliar e replanejar com mais sabedoria e, com mais maturidade. O caminho é um só. O que muda é a maneira como olhamos pra ele e o modo como decidimos trilhá-lo. Em frente, sempre, com cautela e sabedoria nas (novas) escolhas que fazemos.
Hora de voltar. E mais transe me acontece! Que maravilha a natureza faz comigo! Permitir-me estar com a  alma em silêncio é uma bênção! Estar imersa comigo mesma colocou minha alma em contato com o universo e libertou algumas amarras que me prendiam a questões tão simples.
Hora de voltar. O caminho de volta é mais fácil. Exige outros esforços, mas muitos dos obstáculos já me são familiares. Já tenho idéia de onde pisar. Já sei que tenho apoio em cada dificuldade. Tenho mais segurança. Nenhum medo de me perder. Nenhum medo de me machucar. Mas o planejamento, a avaliação dos riscos, o cuidado, a atenção...ahhh...tudo isso se mantém necessário. Mesmo conhecendo um pouco mais dessa trilha maravilhosa, ainda não sei tudo sobre ela! Posso ser surpreendida. Posso ter complicações. Mas o importante é que agora sei que, de fato, não estou sozinha! Tudo o que preciso está ali pra me conduzir outra vez ao meu objetivo. E que, só depende mesmo de mim perceber, tudo ao meu redor, com os olhos da alma. Uma alma mais leve agora. Uma alma engrandecida pela gratidão de ter tido a oportunidade de expandir!
A aprendizagem é constante. O crescimento também. Evolução em andamento. E muita gratidão ao universo por me oferecer todas as respostas...e todas as perguntas também!

Link das imagens...poucas, já que não cheguei ao cume e a vista do Dedo de Deus estava coberta por neblina!


terça-feira, 14 de março de 2017

PEdrA dA TArTarUGa - TRiLhA 1 - 15/10/16 (dia 1) e 18/01/17 (dia 2)

Fui caminhar/correr. Já estava no processo de emagrecimento e acredito que havia perdido uns 8 kg, no máximo. Já me sentia uma miss, uma lindeza de pessoa! Minha amiga, mais irmã que amiga, estava aqui em casa e quando voltei pra casa, a louca estava lavando o banheiro, que nem estava assim tão sujo!!!!
Uma pessoa  muito especial pra mim,( não é a doida da amiga/irmã ), num momento bem especial em que conversávamos sobre a cidade e suas belezas, colocou água na minha boca ao falar da beleza da Pedra da Tartaruga. E disse que um dia me levaria lá, o que óbvio, nunca aconteceu! Mas o fato é que fiquei curiosa e então, nesse dia do banheiro, cheguei em casa da corrida já suada e fedida mesmo... e resolvemos conhecer o lugar tão famoso!!! 
Eu já me achava A ATLETA! Disposição não me faltava, nem energia, nem vontade. Mas não fazia a menor ideia de que ia praticamente morrer ao subir a trilha mais fácil da minha pequena trajetória trilheira. Era uma trilha turística, larga, limpa. Sem obstáculos arriscados, um passeio puxadinho, mas um passeio pra todo mundo turista fazer!
E então, como me proponho a metaforar com a vida, penso naqueles primeiros passos, lá atrás, quando começar a viver é tudo que queremos: cheios de coragem, energia, inconsequência. Você se joga sem saber o que vai acontecer, sem saber como é, sem medo, sem desculpas. Só vai! E vai com força, sempre em frente, SÓ VAI! 
Qual era a garantia que eu tinha de que encontraria o paraíso lá em cima? Um alguém que naquele momento foi especial me falou de algo especial e eu, porque ele era especial, quis conhecer esse lugar especial. E me joguei! Isso lembra algum momento de nossas vidas? SÓ FUI. E, claro, arrastei a amiga...
Durante meus dias de separada, fui me dando conta, muito lentamente, que toda dor que sentia fazia parte de uma cura de algo muito mais profundo do que eu podia supor. Algo que estava muito lá longe do casamento, lá longe mesmo! E nesse dia tive mais uma constatação disso quando me sentei no balanço, e por um mágico momento, fui uma criança feliz! Foi uma catarse profunda, uma emoção gigante. Me dei conta de feridas mal curadas que eu nem sabia que estavam ali. Uau, foi inTENSO!
Entendi que meu (re)encontro com a natureza ia sim me fazer muito bem. Começava a me encontrar comigo mesma de novo...esse (re) nascimento começou a ter um grande significado. Nesse dia, já descendo, prometi voltar ali pelo menos uma vez por mês. E aí, a amiga maluca irmã disse: "tem muitos lugares assim aqui, amiga." Não tinha pretensão de ser trilheira, bastava realmente voltar ali uma vez ao mês e me encontrar com a natureza intimamente, eu e ela, ela e eu!
Já voltei lá uma segunda vez, sozinha. Nesse dia, me dei conta de uma das principais coisas que tenho que aprender nessa existência: ser feliz em minha própria companhia....ah, e essa pessoa especial também me deu um toque especial nisso! De uma forma diferente de todas as outras pessoas (não menos especiais, apenas especiais diferentes), que também já tinham, de alguma forma, falado sobre o assunto! Gratidão, C.M.M., por ter sido um cometa na minha existência e, em tão pouco tempo, ter me mostrado belos caminhos, tão iluminados de vida e energia!!!




De rosa, dia 1 na Pedra da Tartaruga com a amiga maluca irmã linda!
De amarelo - Dia 2 na Pedra da Tartaruga - Lindamente sozinha, apreciando a mim mesma e às maravilhas da criação!

o ComEÇo De TudO

Nasci em 1971...e se contei esse segredo tão secreto sobre mim, imagina o que pode aparecer por aqui!!!!!
Casei aos 19 anos. Separei em 1994, quando o Brasil foi tetra! É ruim, bem ruim se separar. A gente abre mão de um projeto de vida e isso é bastante frustrante. Mas éramos novos e tínhamos um tanto de tempo pra recomeçar.
Recomecei em seguida, um ano após a separação. E um ano e meio após recomeçar, esperava meu primeiro filho! A segunda chegou 1 ano e 10 meses depois!
(Re) nasci em 2015, quando decidi me separar outra vez. E depois de 20 anos, posso garantir que esse (re) nascimento dói pacas, mas, dependendo de como você encara a situação, pode funcionar! E pra mim funcionou!!!! Posso dizer que (re) nascer aos 43 do segundo tempo , é bemmmmmm... muitoooo... digamos... intenso! Isso, acho que intenso é a melhor descrição. Tudo é MUITO: a dor dói muito, a alegria é muita, a insônia...uauuu....é muitaaaaaa. E a solidão??? Essa é muita e muito triste...mas só até você aprender que ama sua própria companhia. Ah, esses dois últimos verbos utilizados: APRENDER e AMAR... esses dois lindos verbos nesse (re) nascimento intenso, são mesmo MUITO, MUITO, MUITO, utilizados! No meu caso, aprender é o que mais tenho feito até então. Inclusive, o maior aprendizado de todos, foi o de aprender a ME amar! 
Dentre tantas coisas, já emagreci 24 quilos dos 35 que quero emagrecer. Comecei a correr e fazer musculação e as trilhas, essas maravilhas,  chegaram inesperadamente na minha vida... pra ficar! E quando estou nelas, em contato com a natureza, tão perto das maravilhas da criação, minha mente faz incríveis viagens e um tanto de reflexão! E são essas trilhas que vou compartilhar com o mundo, com o mundo todo que quiser trilhar...